O que é Startup?

Na definição de mercado atual, startup é designada como definição para empresas inovadoras no mercado. Ou uma cultura de inovação. Definir uma startup cria bastante espaço para diversas interpretações.


São muitas as formas de definir o que seria uma Startup, para algumas literaturas são uma forma de empreender, para outros autores seriam uma cultura de inovação ou até mesmo uma forma de se trabalhar.

Acredito que uma Startup é a união de um pouco de cada definição acima, e que, na verdade constitui um modelo de negócios com características específicas relacionada ao mundo digital e que foge do modelo da empresa tradicional, com busca contínua pela inovação e crescimento exponencial.


Engana-se quem pensa que Startup está sempre relacionada a tecnologia ou a internet, esse modelo de negócios está inserido em diversos ramos, como de mercado financeiro, educação, agronegócio, saúde, direito.


E o que será que torna uma Startup tão fantástica? As Startups têm o grande desafio desenvolver um modelo de negócio inovador, escalável e repetível em um cenário cheio de incertezas.


Nas palavras do grande autor Eric Reis: “Uma instituição humana projetada para criar novos produtos ou serviços sob condições de extrema incerteza”.


Por que repetível e escalável? Porque é preciso ser capaz de entregar o mesmo produto ou serviço em escala ilimitada (repetível) e crescer cada vez mais sem influenciar o negócio (escalável).


Tudo isso aliado ao cenário de incertezas, que foge completamente de uma empresa tradicional. Ou seja, aquele manual da empresa tradicional, não servem para esse modelo de negócio. Em principal porque na sua formação não há como garantir que a ideia ou projeto inovador da Startup irá realmente ir adiante e se tornar empresa de fato.


É nesse ambiente que nasce uma Startup, procurando pelo disruptivo, ou seja, fugindo do tradicional. Um negócio que gira em torno de solucionar a dor do cliente agregando valor e rentabilidade.


As Startups são muito importantes para a nossa nova economia digital, pois estamos conectados as transformações digitais. Tudo tão rápido com uma atualização constantemente. Tendo como grande desafio criar crescimento sustentável através da inovação contínua.



Se ainda não entendeu o que é uma empresa Startup, que tal exemplos de umas famosas por aí: Netflix, Uber, Google, Airbnb, Paypal, Amazon, Alibaba, dentre outros.


O modelo de trabalho de uma Startup é baseado em escala de negócios com crescimento através de redes e recursos de aceleração. Crescimento extremos com riscos extremos.


Um ponto que acho fantástico nas Startup é que esse modelo trabalha com muitos projetos entre tentativos e erros. Os fracassos são considerados vitórias para os crescimentos.

São essas particularidades disruptivas e inovadores de crescimento contínuo que o uso de novos modelos mentais que distância as Startup das empresas tradicionais.


No meu trabalho procuro entender a vida das Startups, principalmente porque nesse modelo de negócio não existe o conceito de empresa perfeita, o trabalho é ser consultor de negócio e apoiador, além de ajudar a resolver os problemas.


Como minha paixão gira em torno do direito empresarial digital vou falar um pouco das formas de contratos que mais utilizo nesse modelo de negócio chamado Startup. Não é por conta desse mundo criativo, inovador e incerto, que as questões jurídicas do negócio devem ser deixadas de lado. Apenas é preciso entender que o jurídico deve entender essa cultura de modo a facilitar a inovação e seu crescimento e não burocratizar ou bloqueá-la.


O descaso com a parte legal da Startup pode representar o fracasso de ótimas ideias e dos sonhos dos idealizadores desse modelo de negócio.


Então, se tratando de modelo de negócio incrível segue abaixo os contratos que mais uso nas empresas modernas:


1. Memorando de Entendimento – fase inicial ou preliminar da negociação;

2. Contrato de Vesting – para os talentos, pessoas fundamentais para o negócio;

3. Contrato de Prestação de Serviços – para diversas finalidades de contratação;

4. Mútuo Conversível – utilizado para captar recursos para startup;

5. Contrato Social – a certidão de nascimento da Startup. Formaliza a ideia em negócio de fato.


Lançar-se como empreendedor de uma Startup requer um bom planejamento e parceiros de excelência ao seu lado.


Para todos esses projetos geralmente as Startup utilizam os dados como a sua ferramenta primordial de negócios. Principalmente porque quase sempre estão no mundo digital e precisam dos consumidores para poder escalar. Pelo simples fato de que o que todos querem é vender, então de nada adianta uma ideia fantástica se não consegue chegar no consumidor e não consegue escalar.




Ao falar em consumidor e dados, chega-se à preocupação mundial com a privacidade e proteção de dados, que aumenta a cada dia com a conscientização da sociedade e com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados. Então, cuidar dos dados também é fundamental para as Startups.




É aqui na origem da ideia da Startup que surge a adequação do projeto de acordo com chamado Privacy by design, que nada mais é que cuidar da privacidade desde sua concepção.


A Startup precisa nascer com a consciência da importância da privacidade e da proteção dos dados pessoais.


Assim, medidas de segurança devem ser implantadas no privacy by design (concepção) do produto ou serviço da Startup com toda preocupação no tratamento dos dados e proteção da privacidade.


Analisar os seus parâmetros para cuidar do tratamento dos dados e de forma sua atividade poderá impactar o usuário e terceiros, adotando sempre medidas proativas em vez das reativas. Ou seja, a concepção deve antecipar os riscos a privacidade.


A segurança com os dados não fica só na concepção, esse cuidado deve evoluir juntamente com a Startup em todas as suas outras fases de desenvolvimento, aplicação e avaliação.


Adotar o Privacy by design na origem da Startup protege a empresa, evita retrabalho e perdas financeiras.


Por fim, acredito mesmo que o modelo de negócio Startup veio para ficar na nossa sociedade digital, ninguém mais gosta de coisas antiquadas ou burocracia. Pode ter certeza esse modelo de trabalho pode ser utilizado em qualquer organização, desde que mantenha uma forte cultura de inovação e crescimento contínuo. A inovação produtiva é muito mais gratificante.

“Startup é um modelo dinâmico de gestão que busca a inovação como principal forma de resolver um problema da sociedade” - Matheus Gonzalez



Acesse o artigo em vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=sKd61ZRFv8Y&t=53s

www.fabiolagrimaldi.adv.br

https://fabiolafgrimaldi.jusbrasil.com.br/

https://www.linkedin.com/in/fabiolagrimaldiadv/



FG Advocacia e Concultoria

-Política de Privacidade

-Termos de Uso

©by Fabíola Grimaldi