top of page

A utilização de inteligências artificiais (IA) em ambientes corporativos tem se tornado cada vez mais comum, trazendo consigo inúmeros benefícios, como automação de processos e análise avançada de dados.

No entanto, a implementação dessas tecnologias também apresenta desafios significativos no que diz respeito ao compliance e à proteção de dados. Neste artigo, exploramos como integrar a IA ao compliance, garantindo que as informações, materiais, voz, imagem e dados compartilhados nas plataformas estejam devidamente protegidos.


Quais são os riscos envolvidos no uso da IA?
Antes de mais nada, é crucial compreender os riscos associados ao uso de IA. As plataformas de IA, como as fornecidas pela OpenAI, frequentemente utilizam dados dos usuários para treinar e melhorar seus modelos. Isso inclui texto, arquivos de áudio e imagens inseridos durante as interações com a IA. A absorção desses dados não se limita às informações dos próprios usuários, mas também pode incluir dados de terceiros, como voz e imagem, capturados durante o crowdsourcing.

Esse processo de coleta e utilização de dados levanta sérias preocupações de privacidade. Por exemplo, há implicações significativas quando um aplicativo tem acesso à tela do dispositivo e ao seu conteúdo, especialmente no ambiente de trabalho, onde informações sensíveis, como dados de identificação pessoal (PII) e informações financeiras, podem estar envolvidas.

Além disso, a transferência de dados empresariais para plataformas de IA pode expor as empresas a riscos de vazamento de informações confidenciais, como segredos comerciais, estratégias de mercado e detalhes de projetos em desenvolvimento. A proteção inadequada desses dados pode resultar em espionagem industrial, onde concorrentes podem obter vantagens competitivas injustas. Ademais, a dependência excessiva de plataformas de IA para processar informações críticas pode levar à perda de controle sobre os dados, dificultando o monitoramento e a gestão de quem tem acesso e como esses dados são utilizados.

Que tal Dicas de Proteção?
Para mitigar os riscos e garantir o compliance ao utilizar plataformas de IA, é fundamental que as empresas adotem medidas específicas de proteção de dados.

Para que a integração da IA ao compliance seja eficaz, é necessário desenvolver uma nova cultura organizacional que contemple o uso responsável dessas tecnologias. A introdução da IA nas operações da empresa deve ser acompanhada por políticas específicas e programas de treinamento voltados para todos os colaboradores.

Aqui estão algumas recomendações práticas:

1. Desativar o Histórico de Bate-Papo
Uma das primeiras ações que pode ser tomada é desativar a opção de histórico de bate-papo. Ao fazer isso, você impede que a plataforma utilize as suas conversas para treinamento do modelo. Embora essa medida signifique perder o acesso às conversas anteriores, ela oferece uma camada adicional de segurança, garantindo que seus dados não sejam utilizados indevidamente.

2. Navegar pelo Portal de Privacidade
É essencial explorar o portal de privacidade da plataforma de IA que você está utilizando. Muitas vezes, existem opções (embora por vezes ocultas) para cancelar o treinamento do modelo utilizando os seus dados. Verifique se a plataforma oferece a possibilidade de desautorizar o uso das suas interações para fins de treinamento. Essa medida pode incorrer em custos adicionais, mas vale a pena para garantir a proteção dos seus dados.

3. Entender as Políticas de Privacidade
Familiarize-se com as políticas de privacidade da plataforma. No caso do ChatGPT, por exemplo, a OpenAI reconhece que utiliza dados pessoais para treinar seus modelos. Compreender como seus dados são coletados e utilizados é crucial para tomar decisões informadas sobre o seu uso.

4. Excluir Informações Sensíveis
Excluir um chat não necessariamente apaga as informações da memória da IA. É importante aprender a excluir de maneira correta qualquer informação que você prefere não compartilhar com a plataforma. Siga as instruções fornecidas no FAQ sobre controles de dados ou na Central de Ajuda da plataforma para garantir que seus dados sejam removidos adequadamente.

5. Definir Tipos de Informações Compartilháveis
Estabelecer diretrizes claras sobre quais tipos de informações empresariais podem ser compartilhadas nas plataformas de IA é essencial. As empresas devem identificar e categorizar informações que podem ser compartilhadas e aquelas que devem ser mantidas confidenciais. Por exemplo:



Essa categorização ajuda a evitar a exposição de dados sensíveis e garante que todos os colaboradores compreendam quais informações são seguras para serem compartilhadas.

Conclusão
A integração da inteligência artificial ao compliance requer uma abordagem cuidadosa e informada para proteger dados e privacidade. Ao adotar medidas como desativar o histórico de bate-papo, navegar pelo portal de privacidade, entender as políticas de privacidade e excluir informações sensíveis, você e sua empresa podem minimizar os riscos associados ao uso de IA.

A proteção de dados e a conformidade regulatória não são apenas obrigações legais, mas também práticas essenciais para manter a confiança e a integridade da sua organização. Implementar essas medidas ajudará a garantir que a utilização da IA seja segura e alinhada aos princípios de compliance.

Commentaires


bottom of page